SOBRE A ARTE

SOBRE A ARTE

Miguel Falabella encarna Deus na peça 'God'


O Brasil não tem catástrofe natural. A catástrofe está na classe política. A crítica faz parte de um diálogo entre Deus e os arcanjos Miguel e Gabriel, na peça "God", adaptada por Miguel Falabella.


A peça começa com Falabella apresentando-se como Deus encarnado no ator e, ao saber pelos seus anjos que encarnou num país chamado Brasil, ele demonstra não se lembrar do lugar.


“É um lugar em que não teve tsunami, terremoto, nada”, descreve um dos anjos. “A única catástrofe é a classe política”. “Ah, é aquela gente que eu criei quando estava de óculos escuros”, responde Deus.


É assim, cheio de citações à realidade do País e com críticas cáusticas à atual onda de conservadorismo que tomou conta da sociedade brasileira que o ator e diretor conduz o texto de "God", texto original do judeu-novaiorquino David Javerbaum (vencedor de um Emmy Award).


O espetáculo fez um enorme sucesso na Broadway, sendo definido pelo The New York Times como: “Delirantemente, divinamente engraçado!”.


Falabella conheceu o texto após assistir a uma montagem em Nova Iorque. Ele comprou a peça junto do amigo português Joaquim Monchique, e fez a sua releitura da obra, interpretando uma versão moderna de Deus, num bate-papo com a humanidade.


Mas o verdadeiro objetivo da visita de Deus à Terra é reescrever os Dez Mandamentos, com a ajuda de Steve Jobs (que propôs uma nova versão ao Todo-Poderoso, ao chegar ao Paraíso) e dos seus arcanjos, interpretados por Magno Bandarz e Elder Gattely.


O começo


Ator, autor e diretor, vivendo entre Rio de Janeiro e São Paulo, Miguel Falabella nasceu em 10 de outubro de 1956, no bairro de São Cristóvão, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Ele é filho de um arquiteto e de uma professora universitária de Francês e Literatura Francesa, e seu início no teatro se deu no Teatro Tablado Escola para Atores.


EM DESTAQUE
ÚLTIMOS POSTS
CATEGORIAS
TAGS
Nenhum tag.
ARQUIVO