SOBRE A ARTE

SOBRE A ARTE

DJ deixa escapar possível identidade do grafiteiro Banksy


Foto divulgada no site do artista britânico Banksy mostra grafite em Clacton-on-Sea, na Inglaterra, que foi removido a pedido de autoridades que entenderam a obra como racista em vez de satírica (Foto: AP/banksy.co.uk)

DJ Goldie deixou escapar, durante uma entrevista, a possível identidade de Banksy e deu a entender que o grafiteiro é, na verdade, Robert Del Naja, músico da banda Massive Attack.


O DJ, amigo de Del Naja, falava sobre como o mundo da arte havia transformado o grafite em uma categoria altamente rentável, mesmo que o nível de rejeição ainda fosse grande.


"Me dê uma letra em formato de bolha, coloque em uma camiseta, escreva Banksy nela, e estamos feitos. Podemos vendê-la agora”, afirmou a Scroobius Pip, o apresentador do Distraction Pieces, popular podcast no Reino Unido.


“Sem ofensa a Robert, eu acho que ele é um artista brilhante. Eu acredito que ele virou o mundo da arte de cabeça para baixo", continuou Goldie.


Após a declaração do DJ, fãs e veículos de imprensa começaram a identificar “Robert” como Robert Del Naja, também conhecido como 3D e que, juntamente com Goldie, fazia grafites no começo dos anos 1980.


Robert del Naja, cantor e componente do trio britânico Massive Attack, durante show na Suíça em junho de 2006 (Foto: Regina Kuehne/Keystone/AP/Arquivo)

Suspeitas

A escorregada de Goldie endossou a suspeita que pairava sobre uma possível conexão entre Del Naja e Banksy. À essa conclusão já havia chegado o jornalista Craig Williams, que investigou o artistas plástico por cinco meses.

Só que, segundo a apuração de Williams, Banksy não era uma só pessoa. As obras associadas a ele eram feitas por um grupo de artistas liderados por Del Naja. O líder da Massive Attack já havia descartado a hipótese, dizendo que se tratava de “uma boa história, mas, infelizmente, não verdadeira”.


As conclusões de Williams são reforçadas por aparições das obras de Banksy em locais onde a banda tocou. Isso ocorreu em Melbourne, em 2003, e em San Francisco em 2010.


“Ele é um parceiro. Anda com alguns camaradas. É puramente uma questão de logística e uma coincidência, nada mais do que isso”, afirmou Del Naja, quando confrontado com esses fatos.


Além da “coincidência”, Banksy ilustrou a capa do livro de Del Naja, “3D and the Art of Massive Attack”, lançado neste ano.

#Banksy

EM DESTAQUE
ÚLTIMOS POSTS
CATEGORIAS
TAGS
Nenhum tag.
ARQUIVO