SOBRE A ARTE

SOBRE A ARTE

Arte Bruta: Uma outra forma de ser e estar


Um conceito diferente de arte, a Arte Bruta surge também como uma forma de reabilitação psicossocial. O hospital Magalhães Lemos e o Centro Hospitalar Conde Ferreira são dois dos casos no Porto que permitem aos utentes expressar-se através da arte.


Uma arte pura, espontânea, sem cânones e produzida por criadores livres de qualquer influência de estilos oficiais. É assim a designação de Arte Bruta, criada por Debuffet, em 1945. Segundo Cláudia Lopes, responsável do atelier de expressão plástica do Centro Hospitalar Conde Ferreira é mesmo "uma arte que sai do sistema e que é autêntica. O autêntico que sai quase do inconsciente diretamente para o papel".


Apesar desta definição, há também quem não acredita nela. João Silva, enfermeiro chefe do Serviço de Reabilitação Psicossocial do hospital de Magalhães Lemos, é um deles: "Arte é arte, independentemente das pessoas que a fazem".


A Arte Bruta apresenta-se também, mas não só, como instrumento terapêutico. No Porto, o hospital Magalhães Lemos e o Centro Hospitalar Conde Ferreira são dois exemplos disso mesmo: utilizam a arte como forma de reabilitação psicossocial. A reabilitação "tende a dar, de alguma forma, às pessoas com doença mental, oportunidades iguais às pessoas ditas não doentes", diz João Silva.


Teatro, música, pintura, escultura, cerâmica, reciclagem de material são todos os géneros utilizados pelo Magalhães Lemos e têm-se tornado cada vez mais indispensáveis aos doentes: "Eles verbalizam isso, acabam por dizer que isto, de alguma forma, acabou por lhes mudar a vida, ou a perspetiva como viam a vida". Muitas vezes por descobrirem neles próprios potencialidades que eles mesmos desconheciam.


No hospital Magalhães Lemos, há quarenta anos que a arte serve como instrumento terapêutico. Dos 250 doentes, 85% frequenta ateliers de duas a três vezes por semana. Cláudia Lopes acrescenta que a arte não é um processo 100% eficaz, mas ajuda a "promover a autoestima, a comunicação entre o grupo, a qualidade de vida, a diminuir os níveis de ansiedade e a melhorar a qualidade de auto-expressão. Agora, não há receitas", esclarece a responsável do atelier de expressão plástica do Centro Hospitalar Conde Ferreira.


As oficinas são frequentadas por cerca de 30 pessoas e integram pacientes com deficiência mental e esquizofrenia. O método é adaptado a cada utente: "É fundamental haver liberdade dentro daquele espaço. Que seja, um espaço onde o utente se sinta seguro para poder exprimir um pouco de si", conclui Cláudia Lopes.


Para além da reabilitação psicossocial


Arte Bruta é um conceito que engloba os trabalhos produzidos fora do sistema tradicional e profissional da arte. Não é um exclusivo de pessoas com doença mental. Arte Bruta engloba também produções realizadas por crianças, criminosos e até alguns trabalhos de caráter público e coletivo, como o graffiti.


EM DESTAQUE
ÚLTIMOS POSTS
CATEGORIAS
TAGS
Nenhum tag.
ARQUIVO